terça-feira, 14 de junho de 2011

CCB - Ministério Jandira

Clique aqui para ser remetido ao site oficial
Relutei para não escrever algo a respeito dos últimos acontecimentos envolvendo os anciães de Jandira Samuel Trevisan, João Marcos de Oliveira e Otoniel Ribeiro.

Já é do largo conhecimento de grande parte da irmandade - em especial os residentes na região da grande São Paulo e ABC - os fatos ocorridos nos útimos meses que culminou no afastamento do ministério dos irmãos supramencionados.

A algumas  semanas vem sendo lida uma circular para todas as igrejas próximas às regiões de Jandira comunicando aos membros da Congregação Cristã, mesmo que de forma vaga, as ocorrências interligadas ao caso.

Na circular os anciães do oeste de São Paulo e demais irmãos envolvidos são classificados como "apóstatas" e pessoas que "praticaram coisas contrárias à sã doutrina".

Os termos são fortes, afinal a palavra "apóstata" implica no TOTAL abandono da fé cristã praticada por um grupo ou individuo, podendo estes até mesmo atingirem o mais profundo abismo em afirmativas contrárias à "encarnação" do Verbo em um corpo humano IMACULADO e sem pecado, em outras palavras, negam a divindade da pessoa amada do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo e que ELE veio em carne.

Os apóstatas também são vistos como pessoas que dão ouvidos a espíritos enganadores e a doutrina de demônios.

Posto isto não creio ser prudente classificar os irmãos de Jandira referenciados na circular de "apóstatas" bem como os demais membros da congregação que migram para outros grupos  sem abandonar a fé cristã genuina.

O simples fato de um determinado número de irmãos ordenar para o ancionato alguns conservos, mesmo que sem o consentimento legal dos mais antigos que compõe o conselho de anciães, não é motivo para tê-los como "apóstatas" ou ainda "pessoas que praticaram coisas contrárias à sã doutrina", mesmo por que na sã doutrina exposta na biblia sagrada, ensinada por Jesus Cristo e seguida pelos seus apóstolos e discipulos não há absolutamente nada a respeito de que um grupo de anciães de determinada localidade devem ser completamente sujeitos à um outro grupo de anciães de outra localidade, sendo que estes possuem autonomina e poder TOTAL no controle espiritual das demais congregações espalhadas pelo mundo, estando todos os demais sob a tutela e observação destes que decidem perfeitamente sem a intervenção de terceiros os rumos que as congregações e assembléias devem tomar cabendo portanto ao restante que não perfazem o conselho acatarem as decisões sem se quer questionar,  discordar ou mesmo opinar sob o risco de serem cortados sumariamente de suas atribuições enquanto membros da Congregação Cristã no Brasil.

Não estou com isso defendendo os anciães de Jandira que foram afastados, no entanto deixo manifestado de forma pública a minha opinião a respeito dos termos empregados na circular.

Independentemente do julgamento do caso (se certo ou errado) que resultou no afastamento dos irmãos que acabaram se envolvendo com essa história creio que toda a irmandade do Brasil e do mundo devem continuar a tê-los como nossos irmãos em Cristo Jesus, apresenta-los em oração e jamais emitirmos julgamentos condenatórios desnecessários.

Placa de igreja não salva absolutamente ninguem e muito me entristeço por ver membros da Congregação Cristã no Brasil numa guerra política a respeito do controle da instituição, uso do nome da denominação, construção de prédios feitos de tijolo e cimento, estatutos, CNPJ's e tudo mais concernente à organizações religiosas e seus diversos trâmites legais.

Até parece que quem verteu sangue no duro madeiro da cruz em favor das nossas almas foi a placa da denominação que pertencemos.

Estar sob a tutela da Congregação Cristã no Brasil e de seu ministério não garante salvação para absolutamente nínguem.

Estar congregado dentro de quatro paredes de cimento, embora algo que tenha o seu valor, também não garante salvação para absolutamente nínguem.

E para concluir, deixar de estar congregado dentro de quatro paredes de cimento de determinada casa de oração da Congregação Cristã no Brasil  (ou de outra denominação qualquer) cujo endereço se encontra no Relatório também é algo que não condena absolutamente nínguem

Quando Jesus Cristo voltar para arrebatar seus fiéis ficará TUDO aqui nesta baixa terra e não restará pedra sobre pedra que não seja derribada.

Caberia portanto através da circular apenas um singelo esclarecimento e orientação para a irmandade procurar congregar somente nas casas de orações listadas no Relatório, sem no entanto lançar dúvidas a respeito da integridade cristã de quem quer que seja ou ainda reforçar a idéia de que fora da Congregação Cristã no Brasil não existe graça.

Leiam também a postagem contida neste LINK.